Estudantes estão preocupados com a falta de aulas das disciplinas básicas. Eles reclamam ainda da falta de infraestrutura da escola, em Ulianópolis.


Alunos da escola Isabel Amazonas em Ulianópolis, no sudeste do Pará, estão preocupados com a falta de aulas das disciplinas básicas recomendadas pelo Ministério da Educação. Além disso, eles reclamam da falta de infraestrutura no colégio.


Mesmo sem saber se haverá aula, os alunos chegam cedo à Escola Estadual de Ensino Médio Professora Isabel Amazonas. Marcos Araújo tem 16 anos e é um dos alunos da terceira série do Ensino Médio, ele sonha em ser engenheiro civil, mas sofre com um problema: há dois anos faltam professores na escola.


O conteúdo de química, por exemplo, matéria obrigatória para o vestibular, até hoje não foi dado.  “Isso é uma falta de respeito contra todos os alunos, não é só contra mim, contra todos os alunos da escola que vão precisar do vestibular para entrar numa faculdade”, afirma o jovem.


A situação de Antônia Reis é parecida, ela está com o caderno praticamente todo em branco. A estudante conta que deveriam ter seis aulas por dia, mas normalmente têm de três a cinco, no máximo. “Prejudica, porque a maioria das vezes o professor quer passar prova e sem assunto, como é que passa?”, questiona a aluna.

A carência de profissionais atrapalha bastante a qualidade de aprendizado dos alunos, e como se não bastasse, alguns professores ainda costumam faltar, mesmo estando em semana de provas. “Não teve prova de Português porque o professor faltou. Não teve prova de matemática porque o professor faltou. Aí a gente vai ficar sem prova e sem nota também”, conta a estudante Gisela Miranda.

Ao todo, são cerca de 1200 alunos matriculados nos três turnos. Das 29 turmas, 26 estão sem aulas de inglês, apenas os alunos da noite fazem a disciplina por causa da disponibilidade de professor. Faltam também professores de física, química e sociologia, matérias básicas da grade curricular recomendada pelo Ministério da Educação.

O diretor da escola, Sirley Gomes, reconhece a falta de professores e conta que no ano passado os alunos foram aprovados praticamente sem ter aulas nas disciplinas em falta. Eles apenas fizeram um trabalho para conseguir a nota de aprovação e passar para a série seguinte.


Ele disse ainda que já solicitou junto a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), a contratação de novos profissionais. “Toda a documentação dos profissionais já foi enviada para Belém. Estamos hoje no aguardo do retorno dessa documentação, já com os profissionais contratados”, explica o diretor.


Mas a dificuldade dos alunos vai além dos caderno em branco. A escola até parece bem estruturada, mas basta entrar nas salas de aula para ver que ela não avançou muito. As lousas ainda são de cimento, alguns ventiladores estão quebrados, manchas na parede indicam os problemas no forro. Os banheiros têm vazamentos e o mau cheiro exala.


No lugar onde deveria existir uma quadra de esportes, estão apenas os pilares de uma construção inacabada. “A gente tem o direito, a gente tem que estudar. A gente está aqui porque não tem como ir para outro lugar, às vezes nossos pais não têm condições de nos levar e a gente acaba ficando aqui, mas não tem a educação que a gente realmente precisa”, afirma a estudante Raquel Oliveira.


Os estudantes estão ainda sem merenda escolar há quase 4 meses. “na hora da merenda eles nem abrem a porta, tem que comprar ali a R$ 2,00 custa a merenda. A maioria aqui não traz dinheiro, fica todo mundo com fome”, conta o aluno Claiton Martins


A Secretaria de Educação do Pará informou que já foi autorizada a contratação imediata de seis professores para dar aulas nas disciplinas de Inglês, Sociologia, Artes, Língua Portuguesa, Física, Matemática, Biologia e Química.


Sobre os problemas infraestrutura na escola Isabel Amazonas, em Ulianópolis, a Seduc disse que a revitalização do prédio foi concluída em junho de 2012, em uma obra que custou mais de R$ 130 mil.


Com relação à falta de merenda escolar, a Seduc disse que a responsabilidade é da prefeitura municipal em repassar a alimentação às escolas.

Este problema apareceu no omadrugador, em janeiro de 2006.
Ignore a imagem e apenas resolva o problema:


Veja uma maneira de chegar à resposta selecionando o texto abaixo, que está em branco:

O resultado será 9.808. O problema com a calculadora é que ela não soma nada. Apenas sobrepõe os sinais digitais dos números que são marcados. Assim, se quisermos somar 5 + 7, o resultado será 9 

Programa Universidade para Todos (Prouni)


Estudantes de baixa renda que querem cursar o ensino superior mas não têm condições financeiras para arcar com as mensalidades de faculdades e universidades privadas, contam com o Programa Universidade para Todos (Prouni). Criado em 2004, ele viabiliza bolsas de estudo integrais ou parciais de 50% aos alunos que atingirem as maiores notas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Em contrapartida, as instituições que participam do Prouni, divulgadas pelo Ministério da Educação (MEC) durante a época de inscrições, ficam isentas do pagamento do Imposto de Renda, da Contribuição Social sobre Lucro Líquido, do PIS e do Cofins.
José Rosa Programa oferece bolsas integrais ou parciais de 50% Ampliar

Programa oferece bolsas integrais ou parciais de 50%

O programa faz parte do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) e deve contribuir, entre o período de 2011 a 2020, para que pelo menos 33% dos jovens de 18 a 24 anos acessem o ensino superior. Até o segundo semestre de 2011, o Prouni já havia atendido cerca de 919 mil estudantes, sendo 67% deles com bolsas integrais.

Em 2011, foram oferecidas 254.598 bolsas de estudo (o maior número desde 2005), das quais 129.672 integrais e 124.926 parciais. Para o primeiro semestre de 2012, a previsão é oferecer 195 mil bolsas.

Quem pode participar do Prouni?

O pré-requisito para todos os candidatos do Prouni é ter renda familiar de até três salários mínimos, para bolsa parcial e 1,5 salário mínimo, para bolsa integral. Além disso, o aluno deve se enquadrar em pelo menos uma das seguintes condições: ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou privada (neste caso, com bolsa integral), ser pessoa com deficiência, ser professor efetivo da rede pública de ensino básico que concorre a vagas em cursos de licenciatura, normal superior ou pedagogia.

Como participar?

As inscrições para o Prouni só podem ser feitas via internet em períodos específicos, determinados e divulgados pelo Ministério da Educação (MEC). Todas as instituições de ensino superior participantes do programa oferecem acesso à internet para quem deseja se inscrever. Quem não tem acesso à internet também pode se inscrever por meio da rede de parceiros do Prouni, nos Centros de Integração Empresa-Escola (CIEE) ou nas mais de 3.200 unidades do Governo Eletrônico Serviço de Atendimento ao Cidadão (GESAC).

Fonte: Ministério da Educação

Tags: Bolsas de estudo, Crédito estudantil, Prouni

Revista TV Escola -  3ª Ed. - 2011
As novas tecnologias da informação e comunicação chegaram para nos inserir definitivamente na era do trabalho coletivo. A matéria de capa desta edição aborda os programas de formação que estão aí para alinhar a escola com esta dinâmica revolucionária.

A seção Mundo Virtual apresenta o Portal da TV Escola, que disponibiliza online os vídeos exibidos no canal e disponibiliza um leque de propostas para sua utilização em sala de aula. Viajamos pelo Brasil para mostrar as escolas finalistas ao Prêmio Nacional de Referência em Gestão Escolar. Em Rondônia, vimos de perto as razões pelas quais as escolas da região se destacam no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).
Quer ter acesso ao nosso conteúdo em primeira mão e participar, Siga @IsabelAmazonas

Confira o trabalho que vem sendo realizado por professores nas seções Você é o Repórter e Profissão Professor. Quem sabe, na próxima edição, teremos suas contribuições em nossas páginas?! Boa leitura e até a próxima!

Os candidatos a vagas na educação superior pública em 2012 têm prazo até as 23h59 de amanhã, sexta-feira(10), para fazer a inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2011.

O pagamento da taxa, de R$ 35, para os não isentos deve ser feito até segunda-feira, 13, no Banco do Brasil. O valor da taxa é o mesmo desde 2004.

As provas serão aplicadas em 22 e 23 de outubro.
Dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), responsável pela aplicação do exame, confirmam, até agora, a isenção automática da taxa para 804.925 inscritos

— estudantes de escolas públicas que vão concluir o ensino médio este ano.
Em outros casos, o pedido de isenção deve ser feitos depois do preenchimento do questionário socioeconômico, no momento da inscrição.

Ao selecionar a opção de carência, o interessado confirmará que não tem condições de pagar a taxa.
A critério do Inep, ele terá de apresentar, posteriormente, os documentos que comprovem a carência socioeconômica

— atestados de residência, de pobreza e de dependência econômica, que podem ser comprovados com a inclusão em programas públicos para famílias de baixa renda.
A condição de carente será confirmada com base no Decreto nº 6.135, de 26 de junho de 2007.Sabatistas

— Candidatos que professam religiões guardadoras dos sábados podem fazer as provas de 22 de outubro em horário diferente do estabelecido para os demais candidatos.
O pedido deve ser feito no momento da inscrição

— essa opção não pode ser indicada posteriormente.
Durante a inscrição, ao confirmar a necessidade de atendimento diferenciado ou especial, o candidato deve marcar a situação na qual se encaixa. Entre as opções está a dos que guardam os sábados.

Esses estudantes começarão a responder o caderno de provas após o pôr do sol, mas têm de chegar aos locais de prova no mesmo horário dos demais inscritos

— entre 12h e 13h. Eles ficarão em salas específicas, à espera do momento de iniciar o exame, e terão o mesmo tempo que os demais para fazer a prova

— quatro horas e meia.
As provas do sábado abordam as áreas de ciências da natureza e suas tecnologias e ciências humanas e suas tecnologias.
Em 2009, o Enem registrou 17.067 observadores de sábado; em 2010, o número superou os 25 mil. As inscrições, declarações de carência e opções dos observadores dos sábados devem ser feitas na página eletrônica do Enem.



Como é que nunca tinha pesando nisso?!?

Like a boss. [via Xpock]

A realidade de Ulianopolis não e tão diferente dá do Rio Grande do Norte.

Este vídeo e exatamente o que esta acontecendo na nossa cidade de Ulianópolis.
Eu acho que as professoras devem marcar uma reunião e desabafar com esta secretaria de educação de Ulianópolis.

Depoimento da professora Amanda Gurgel do RN